top of page
Botton40mm.png

BLOG

Segunda pele

Trepadeiras comuns proporcionam conforto térmico a baixo custo


Tumbérgia-azul

A eficácia da cobertura verde na criação de ambientes termicamente confortáveis é bem conhecida, pois a vegetação minimiza o ganho de calor. Embora possa ser empregado em diferentes circunstâncias, é desejável que esse recurso – usado como segunda pele –, seja considerado desde a elaboração do projeto arquitetônico.


A arquiteta Denise Damas de Oliveira Morelli analisou o impacto de duas espécies de trepadeiras, em protótipos de alvenaria, que podem ser instaladas em toda a edificação, apenas em algumas fachadas e/ou na cobertura, bem como juntas às paredes ou afastadas, dispostas em suportes, plantadas em floreiras ou diretamente no solo.


Denise decidiu-se pelas variedades tumbérgia-azul (Thumbergia grandiflora), em decorrência do seu crescimento rápido, e jasmim-dos açores (Jasminum azoricum L.), por causa de sua intensa presença em edificações urbanas, sendo ambas encontradas em todo o País, em mudas com valores acessíveis.


O estudo considerou parâmetros como variações físicas nas temperaturas do ar interno e externo, nas paredes de dentro e fora, na umidade relativa do ar e velocidade dos ventos. A autora pretendia que os resultados pudessem ser utilizados em moradias sociais, nas quais é comum encontrar coberturas de telhas de fibrocimento e forros de PVC.


Após ser coberto pela trepadeira, protótipo de alvenaria apresentou temperatura interna 2,4ºC menor


Jasmim-dos-açores

Conheça as espécies

A tumbérgia-azul, proveniente da Índia, é semi-lenhosa, vigorosa, tem folhagem ornamental e dá flores quase todo o ano, mas prevalentes na Primavera-Verão. O jasmim-dos-açores, oriunda das Canárias, também semi-lenhosa, ostenta folhagem ornamental e flores brancas, principalmente no Verão-Outono.


Denise concluiu que, como segundas peles, as espécies apresentaram resultados satisfatórios ao minimizar o ganho de calor no interior, com diminuição superior a 2ºC nas estações mais quentes.


Segundo ela, a vegetação pode ser considerada como um elemento de resistência térmica, ou seja, uma parte do calor que seria absorvido pela parede o é pela vegetação, podendo-se dizer o mesmo em relação à friagem invernal. O estudo mostra, ainda, que a vegetação não provoca umidade, mofo ou bolor na construção.


Post retirado da edição 139 da revista Paisagismo & Jardinagem, quer conhecer mais?








43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page